Home

Acredito que, apesar de escrever muito, eu não tenha ainda sido suficientemente capaz de demonstrar a minha OPINIÃO, que até é simples (acontece-me em quase tudo o que faço; sou difuso, confuso, por isso, quando junto mil argumentos a um facto simples, parecendo, quantas vezes, indecifráveis os meus propósitos). Como acordei bem disposto (acordo sempre satisfeito por ter um novo PRESENTE!) vou tentar ser um pouco mais esclarecedor. Sou dos que entendem que vale a pena esclarecer mal-entendidos, a bem da salutar convivência da diversidade de pensamentos…:

Nada me move contra campanhas ou SALDOS (sei que em alguns momentos precisamos de chamar a atenção sobre nós – Empresas individuais, pequenas, médias, grandes, ou imensas; ou de escoar produtos que de outra forma pereceriam sem benefício para ninguém e, aí sim, se tornariam prejuízo);

Nada me move – bem pelo contrário! – contra que as empresas ganhem dinheiro (foi um dos motivos que as fez gerar empregos!!!);

Nem sequer me move qualquer ‘raiva’ contra quem – nas Empresas, de forma lícita, ditada pela utilização inteligente das leis de mercado – ganha fortunas (olhe-se, fora de Portugal, é certo, para a actividade actual de Bill Gates e aprecie-se o que fez e o que faz; mas olhe-se também para o que fez, pelo desenvolvimento económico e social, o Grande empresário Mello, no passado, ou o Grande empresário Manuel Pinto de Azevedo, aqui em Portugal, e respeitar-se-á, por certo as suas fortunas)

O que aconteceu ontem, com o meu artigo, foi a minha tentativa, pelos vistos falhada, de apontar para algo não esporádico, mas continuadamente ocorrido, todos os dias, e que é sentido, a cada minuto, nas empresas industriais: esta política de preços ‘baixos’ – acentuada muito claramente pela crescente promoção da ‘marca branca’ – está a provocar o caos na Indústria e, ao fazê-lo, vai acabar por criar apenas e só:

Desemprego;

Perda de capacidade de compra e de consumo pelos afectados;

Perda de capacidade de investimento;

Perda de potencial de renovação do nosso parque Industrial;

Perda, portanto, de capacidade de competição do País.

………………

O caminho tem, julgo, que ser exactamente o inverso:

Emprego;

Capacidade de compra e de consumo;

Capacidade de investimento;

Potencial de renovação do nosso parque Industrial;

Capacidade de competição do País.

…………………

De outro modo, de que valeria a pena estar a formar, nas nossas EXCELENTES Universidades, os nossos Jovens?

Grato!

Anúncios

3 thoughts on “Complementos… – Parte II

  1. Não creio que quem o lê esteja à espera de um Manual. Isso é tarefa dos técnicos. De si, esperamos essa capacidade criativa que avança num turbilhão de ideias e opiniões das quais, outros, poderão, se não estiverem distraídos, retirar bom aproveitamento. Por isso, siga. E acredite que escreva o que escrever, há sempre alguém que não vai entender. Se outros motivos não existirem, por não quererem!

    E, apesar da concordância com bastante pontos da sua exposição, (já ontem ressalvei a importância, em vários domínios das grande distribuição), hoje discordo dessa generalização final sobre as nossas universidades. Infelizmente, há muitas que não podem ter o epíteto de Excelente. Nem sequer de Bom.

    Um abraço

  2. E a produção ? Agricultura e Pesca são as profissões que eu mais respeito! Dependem da natureza, do tempo, como este Inverno por exemplo! A chuva que vier agora irá estragar as colheitas desta altura! Andam á chuva, á trovoada, ao Sol, ao calor … no Mar ás tempestades, mau tempo, em permanente risco de vida, e sem receberem o valor justo pelo seu produto! Como em tudo seja pesca, agicultura, industria ou outro, quem produz é quem tem mais trabalho, mais despesas e menos ganha neste intercâmbio! Os intermediários, tipo grandes superficies ou distribuição são os que ganham tudo ou mais ganham sem nada fazerem ou investirem! Eu trabalho na área da confecção e podia pôr meus produtos nas grandes superficies mas além de não ter estômago nem nervos para me chatear todos os dias. Ir para receber aos 120 dias quando o cheque era de 60 dias como muitos colegas meus fabricantes. E tudo para sustentar Sanguessugas e Parasitas engravatados DRS falhados tipo Soares dos Santos, Belmiros Azevedos

  3. São estes novos economistas e drs que estão em permanente destruição das economias e das grandes empresas e fortunas e heranças! Os antigos subiam a pulso, iam poupando e subindo. Com 1 escudo faziam 1,50 e iam investindo, salários aos funcionários era sagrado, uma escritura e agora? Onde está a palavra? Morreu. As grandes empresas, orgulho de seus proprietários que adoecem e morrem ao verem seu património ser destruido pelas novas teorias economicistas dos novos drs inexperientes, teóricos e á experiência no campo real… falhados, pra vida e no mundo! Deixam um rasto de destruição nas empresas, familias desempregadas e á fome, comércio a falir pois não há dinheiro pra comprar… uma bola de neve, um circulo vicioso onde só sobrevive quem tem muito dinheiro e vive á custa do suor dos outros ! E por mim esses fulanos nem merecem o ar que respiram pois faz falta a quem dele merece e faz por isso!Sou uma revoltada, uma radical mas acima de tudo JUSTA ! E sou empresária daí saber do que falo …

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s